• Lisandra Oliveira, Camila Cordeiro, Ana Carolina

ETAPAS DE UMA CONSTRUÇÃO I

Construir um imóvel, independentemente do tamanho ou complexidade, exige planejamento. A divisão da obra em etapas ajuda a entender melhor a importância de cada processo!

Hoje o post é sobre as etapas iniciais de uma obra, vamos abordar aqui desde a compra do terreno até a construção dos alicerces e estrutura. Parece pouco, mas se prepara porque tem bastante conteúdo!


Imagem: Pngtree


PRIMEIROS PASSOS E PROJETO


Escolha e compra do terreno:

Na hora de escolher o terreno para a sua construção pense nos seus gostos e adéque-os às suas possibilidades, evite terrenos estreitos, tente olhar o máximo de opções possíveis, visite o local pessoalmente e observe se a documentação está em dia.


Levantamento topográfico:

Antes de começar o projeto da obra é importante ter a planta topográfica em mãos. Ela representa a realidade do terreno, seus desníveis, inclinação de uma encosta, volume de uma elevação ou de uma bacia, entre outros. Isso dará clareza e segurança quanto ao que poderá ou não ser executado naquele espaço!


Consultoria para a elaboração do projeto:

Contrate soluções! Uma consultoria profissional te ajudará a tirar dúvidas e ter a tranquilidade em realizar os projetos necessários com garantia de segurança, qualidade e satisfação! Além disso, leve suas ideias, inspirações e apresente seu gosto particular para que o projeto tenha a sua cara!

ATENÇÃO! O projeto NÃO é opcional! Realizar uma obra por conta própria te privará de um melhor aproveitamento do seu terreno, pode resultar também em menor durabilidade do imóvel e falta de segurança. Além disso você estará sujeito a multas, sanções e não conseguirá emitir os documentos necessários para a legalização.


Escolha e quantificação dos materiais:

Além da beleza, é importante ter um profissional que te auxilie, observando a durabilidade e qualidade de cada material que será utilizado na sua obra. Fique atento, escolher os insumos mais baratos nem sempre é sinônimo de economia. A longo prazo eles podem precisar de muitos reparos e acabar saindo mais caro. A quantificação pode parecer uma etapa dispensável, mas evita desperdícios dos materiais ou falta dos mesmos durante a construção. Além disso, comprar materiais de última hora pode pesar no orçamento.


Elaboração do orçamento:

O orçamento também deve ser feito por um profissional e ele te permitirá prever os gastos com a sua obra, desde o início até o fim. Nele é levado em conta todos os custos: mão de obra, equipamentos, materiais de construção, instalações temporárias, entre outros. O detalhamento nessa etapa é muito importante para evitar que você tenha surpresas no decorrer da execução.


Gerenciamento da obra:

Apesar do cronograma de obras ter uma importância ímpar, sozinho ele não funciona. Já parou pra pensar que a construção civil envolve muitos profissionais diferentes trabalhando juntos? Pois é, isso precisa funcionar muito bem. Ter uma equipe qualificada para gerenciar a sua obra te traz inúmeros benefícios:

  • Comunicação entre os diversos setores;

  • Constante revisão e controle do cronograma;

  • Combate ao retrabalho da mão de obra - perda de tempo (e dinheiro) com tarefas que não geram resultados;

  • Adaptação às condições atuais e imprevistos, previsão de erros e busca de caminhos que evitem os mesmos;

  • Controle do orçamento: os erros e atrasos na construção civil geram muitos gastos e gastos te fazem extrapolar o orçamento.

Imagem: Logística na Construção Civil – Inova Civil


PREPARAÇÃO DO TERRENO E CANTEIRO DE OBRAS


Demarcação do terreno:

Antes de começar a preparar o terreno é importante que seja feita a demarcação do mesmo para melhor orientação e garantia de que você não construa fora dos limites. Isso pode ser feito com uso de piquetes, telas, cercas, entre outros.

Limpeza do terreno:

1. Limpeza da vegetação: Retirada de arbustos, plantas, matos e árvores.


ATENÇÃO: Qualquer tipo de intervenção que se pretenda realizar em uma árvore necessita da autorização do órgão ambiental responsável. De modo geral, a autorização é emitida pelas prefeituras, caso ela não possua atribuição técnica e legal para estas solicitações o mesmo deverá ser tratado junto ao órgão estadual competente.

🌳 VOCÊ SABIA?

Por seus inúmeros benefícios, a árvore é considerada um bem de uso comum do povo, conforme firmado no artigo nº 225 da Constituição Federal do Brasil:

Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao poder público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.


2. Limpeza de materiais: Demolição de construção antiga, retirada de pedras e entulhos no geral.


ATENÇÃO:

1- Para fazer a demolição de qualquer imóvel também é necessária autorização da prefeitura, o processo é feito levando em conta o Código de Obras vigente naquela região. Para isso é feito um levantamento do que será demolido, um documento de bota fora com o volume a ser retirado.

2- Transporte tudo que for retirado do terreno para um local adequado, você estará sujeito à multas caso deixe qualquer entulho na rua, calçada ou terreno vizinho.


Imagem: Como descartar o entulho da sua obra de forma correta - Blog da Royal Máquinas (royalmaquinas.com.br)


SERVIÇO DE REGULARIZAÇÃO: Nós do Time Edifica, além de realizar a consultoria para a regularização do seu imóvel, também assessoramos o cliente para a regulamentação da construção junto aos órgãos competentes - isso inclui, por exemplo, a emissão do alvará de demolição.


Sondagem do solo:

A sondagem do solo é como se fosse o Raio X do solo, um processo de estudo, análise e exploração da composição do terreno onde a obra vai ser executada.

  • Resistência do solo;

  • Espessura das camadas que o compõe;

  • Características;

  • Provável localização do lençol freático - caso exista.


ATENÇÃO: Principalmente em obras de grande porte, é recomendado que a sondagem seja feita antes da elaboração do projeto para que o mesmo seja feito de forma viável.

Terraplanagem:

Dificilmente você vai encontrar um terreno naturalmente plano para sua construção. A terraplanagem é basicamente o nivelamento do terreno, transformá-lo em uma área plana - o famoso platô. Lembra da planta topográfica? Então, ela é usada aqui também, juntamente com o projeto, para analisar a melhor forma desse nivelamento ser feito.

CORTE OU ATERRO?

Existem vários métodos para nivelar um terreno e muitas vezes eles podem ser combinados.

Basicamente esses métodos serão utilizados para fazer um CORTE, quando você precisa retirar terra daquele local para que ele fique nivelado, ou um ATERRO, quando é necessário colocar terra. Independente do método, é preciso fazer a compactação do solo novo, para garantir a estabilidade do terreno.

A escolha e execução da melhor técnica é muito importante para que futuramente não ocorra erosão e deslizamentos de terra.

Canteiro de obras:

Pensou que o canteiro de obras fosse só "aquela área lá onde a obra está sendo realizada", não é? Mas NÃO!

Ele é o lugar responsável por transformar o projeto em realidade! Existe todo um planejamento para montar o canteiro de obras, considerando o local de instalação e a logística empregada.

Organização do canteiro de obras:

O layout do canteiro de obras é feito de modo a organizar as instalações provisórias, como o local de armazenamento de materiais, espaço de movimentação de trabalhadores e máquinas, central de concreto, central de argamassa, banheiros, refeitórios, entre outros. Os objetivos dessa organização é:

  • Promover maior agilidade para obra;

  • Diminuição do tempo de deslocamento de materiais, pessoas e máquinas;

  • Melhor dinâmica da obra;

  • Maior funcionalidade na execução de cada etapa de trabalho;

  • Garantir a segurança e dignidade de todos os trabalhadores envolvidos na obra.

NR18- Norma regulamentadora:

Existem diversas normas que regulamentam todas as etapas da construção civil. A NR18 estabelece diretrizes cujo objetivo é implementar medidas de controle e de prevenção ao ambiente de trabalho dentro da construção civil.

Muito além de uma questão legal o canteiro de obras precisa garantir a dignidade humana do trabalhador. Promover condições de segurança é um dever do empregador e um direito do empregado.

Existe uma série de recomendações de abrangência geral que devem ser seguidas, tais como:

  • Uso de equipamento de proteção individual (EPI);

  • Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA);

  • Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional (PCMSO).

Tipos de canteiro: Existem basicamente 3 tipos de canteiro de obras: restrito, amplo e linear.

  • Restrito: Mais comum em áreas urbanas onde a construção ocupa todo o terreno ou grande parte dele. Tem a delimitação de uma área cercada por tapumes ou muros, com um portão que dá acesso ao local. Por ser uma região restrita, o planejamento da logística é fundamental para não tumultuar a área de produção.

  • Amplo: Possuem apenas uma pequena parte do terreno ocupada pela construção. Há possibilidade de vários acessos para máquinas e veículos, bastante espaço para armazenamento de materiais e acomodação para os funcionários.

  • Linear: Existe grande complexidade da organização física nesse tipo de canteiro, pois a movimentação é mais difícil. Eles são limitados em apenas uma dimensão e possuem poucas possibilidades de acesso.


CONSTRUÇÃO DO ALICERCE E DA ESTRUTURA

Imagem: PedreiroBauru.com.br | Construção, Reforma, Muros, Calçadas, Telhados, Hidráulica, Elétrica etc: FUNDAÇÃO - ALICERCE | PEDREIRO BAURU


Fazendo o Gabarito da estrutura:

O gabarito de uma estrutura é o início da construção do alicerce de uma obra. Primeiro demarca-se o local que será construído fincando piquetes no limite das paredes externas com uma folga que varia de acordo com o tamanho total da estrutura e então pregam-se ripas finas que servem para delimitar o espaço interno que será utilizado. Para demarcar as paredes internas são usados arames finos ou linha de nylon.


Fundação:

Essa é uma das partes mais importantes da construção. Definir o tipo de fundação a ser utilizada é uma análise que leva em consideração vários fatores, como tamanho da casa, número de andares e tipo do solo. A fundação de uma obra é responsável pelo equilíbrio das tensões realizadas pela estrutura no solo. Uma boa fundação evita deslizamentos de terra ou recalques no terreno.

Existem as fundações diretas ou rasas e indiretas ou profundas, dentro desses tipo existem muitas subdivisões de formatos que dependem da necessidade da estrutura ou do tipo de solo onde será construído. As fundações rasas transmitem a carga direto para o solo por suas bases e possuem profundidade igual ou inferior a 3 metros. Geralmente a escavação desse tipo de fundação é feita manualmente. Nas fundações indiretas as tensões são passadas para o solo pelas laterais dos elementos de fundação (estacas e tubulões), já que geralmente esse tipo de fundação é empregada em solos com baixa resistência à compressão. Como são mais profundas, às vezes é necessário o uso de escavação mecânica.


Escavação e Concretagem:

Logo após a escavação mecânica ou manual das valas da fundação é hora de começar a preparar o terreno para receber a concretagem. O processo de concretagem da fundação é feita da mesma forma para todos os formatos. Para moldagem das vigas e da sapata é usada uma malha de ferro e concreto. Essa combinação é conhecida como concreto armado.

A primeira etapa é compactar a área escavada e aplicar uma camada fina de concreto nas paredes das valas. Segundo a norma, essa camada deve ter no mínimo 5cm de espessura. Sua função é proteger a armadura da umidade do solo. Com a vala preparada, o projetista define onde as estacas de madeira de marcação dos pilares devem ser colocadas. A armadura é inserida, conforme indicado no projeto de fundação. Os ferros especiais de arranque dos pilares são presos à armadura com auxílio de arames de aço. O concreto é lançado na vala para moldar a sapata. Depois disso são feitas as caixas de madeira para moldar o formato dos pilares e respectivamente iniciar a sua concretagem.


A IMPORTÂNCIA DO CONCRETO PARA AS FUNDAÇÕES:

É importante saber que o concreto pode ter várias propriedades diferentes mudando apenas a proporção dos materiais nele, ou da qualidade do cimento. O uso do concreto corretamente é crucial para a resistência da estrutura e evitar fissuras e recalques à longo prazo.


Aterros elétrico e hidrossanitário:

Essa etapa é logo após a moldagem da fundação. O projetista deve consultar o projeto elétrico e o hidrossanitário para definir os lugares onde será necessário passar encanamentos. Todos os fios e canos devem ser instalados antes da concretagem da laje para evitar desperdício de tempo e material quebrando caminhos para

embuti-los depois.


Concretagem da laje:

A laje é a parte da estrutura que conecta todos os elementos estruturais da fundação, todas as vigas e pilares terão conexão com a laje. Existem vários tipos de laje, sendo a mais comum, a laje maciça, composta por uma grande placa maciça de concreto armado.

A primeira laje deve ser isolada corretamente para evitar infiltrações pelo piso de concreto.

Nessa etapa também já é feito o nivelamento do piso para garantir o escoamento correto da água em alguns pontos. Também são instaladas juntamente com os canos do hidrossanitário, as caixas de drenagem de água.


Vigas e Pilares: Qual a diferença?

As vigas são os elementos horizontais da estrutura e os pilares são os que sustentam a laje na vertical. Geralmente os elementos são moldados com o auxílio de formas. As fôrmas são formadas por 3 placas grandes de madeira compensada e devem ser escoradas para garantir o alinhamento correto. É necessário usar um prumo para alinhar os painéis. Pilares minimamente desalinhados podem ser uma grande dor de cabeça. As vigas e os pilares fazem parte da estrutura de uma edificação. A estrutura é o que mantém a construção de pé, por isso é uma das partes mais importantes da obra. Em alguns casos esses são os únicos elementos estruturais, mas podem existir também as paredes autoportantes, onde a própria vedação serve como parte da estrutura.


As vigas são classificadas de acordo com o seu tipo de apoio.

Podem ser elas:

  • Apoiadas: Vigas com dois pontos de apoio, um em cada extremidade, podendo ter um apoio simples ou ser engastada.

  • Contínuas: Vigas com mais de dois pontos de apoio.

  • Em balanço: Vigas com somente um ponto de apoio em uma das extremidades. Nesse caso toda a carga é localizada em apenas um ponto.

Atualmente, as vigas e pilares mais comuns são feitos de concreto armado. O método construtivo usado é o seguinte:

  1. Locação do eixo da viga ou do pilar;

  2. Execução da forma: Com escoramentos e gravatas;

  3. Locação da armadura;

  4. Concretagem;

  5. Cura do concreto;

  6. Retirada das escoras e da fôrma.


Cuidados gerais na execução:

  • Eixo dos elementos;

  • Espaçamento das fôrmas;

  • Escoramento firme;

  • Vibração do concreto para evitar vazios;

  • Tempo de cura de acordo com o estabelecido;

  • Verticalidade das fôrmas.


Desforma:

A etapa de desforma deve ser feita corretamente para evitar que parte do concreto fissure e se solte da coluna. É interessante pensar também na conservação das fôrmas, que geralmente são caras e podem estragar no momento que descolam do concreto.


Após os alicerces e estrutura construídos, chegamos na etapa de Alvenaria, mas esse será o tema do nosso próximo Blog! Continue acompanhando o nosso conteúdo para conferir as demais etapas de uma construção e tirar todas as suas dúvidas!


Surgiu alguma dúvida? Compartilhe com a gente!

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2016 por Edifica Consultoria.

  • Instagram - Cinza Círculo
  • Facebook - círculo cinza
  • LinkedIn - círculo cinza