• Leonardo Maroca

POR ÁGUA ABAIXO: PROBLEMAS ENVOLVENDO A FALTA DE UM PROJETO HIDROSSANITÁRIO

Muitas vezes, os projetos complementares são menosprezados por serem projetos que, oficialmente, não são exigidos para a construção de uma residência ou de um estabelecimento comercial. Porém, estes se fazem muito importantes para a perfeita execução da obra, sendo indispensáveis no que diz respeito à montagem dos sistemas que dão funcionalidade à edificação. Entre tantos projetos, inclusive, um dos mais importantes, é o projeto hidrossanitário, que estrutura e dimensiona a parte de água da casa, a fim de atender, da melhor forma possível, as demandas daquele lugar.

Em suma, o projeto hidrossanitário é o projeto que dimensiona a estrutura dos sistemas da edificação relacionados à água, sendo desde o sistema de abastecimento do reservatório de água, passando pelo sistema de distribuição, o sistema de esgoto, e até mesmo, em alguns projetos, o projeto de coleta de água das chuvas. Muito da importância desse projeto vem do fato de ele ser um direcionador para a instalação do sistema de água e esgoto, de forma que todos os cálculos já foram feitos previamente, o que garante que todos os pontos da casa funcionem devidamente, inclusive, seguindo as normas técnicas e recomendações da ABNT.

Porém, um fato que muitas pessoas não sabem é que a falta desse projeto pode acarretar em diversas patologias com relação a estrutura da construção, além do desperdício de recursos hídricos, perda de dinheiro na execução e diversos outros problemas. Nesse blog, serão apresentados os principais problemas relacionados a falta de projeto hidrossanitário, tais como mau odor, corrosão de elementos estruturais, mofos, (sim, são muitos problemas), entre outros mais.

Opa, algo não me cheira bem!


Um dos principais problemas dos projetos hidrossanitários é o mau cheiro, sendo este o problema mais frequente em residências (e edificações como um todo) sem projeto hidrossanitário. O mau cheiro muitas vezes se dá pela falta de elementos sifonados ao longo da tubulação de esgoto da casa ou até a instalação indevida das mesmas ou de elementos mais simples, como o sistema de esgoto da pia da cozinha, vaso sanitário, entre outros.


Alguns destes problemas são bem simples de resolver, como por exemplo a questão de pias de cozinha e elementos semelhantes. Caso você identifique o mau cheiro vindo de alguma pia, verifique se a tubulação que sai da pia para a parede (em sua maioria é de cor branca), e confira se ela tem o formato de S. Caso ela não tenha esse formato, mude o formato do cano para que ele o tenha, de forma que fique parecido com a figura abaixo.


Para mais informações sobre esse tema leia nosso blog "Cheiro de esgoto no banheiro ou na cozinha: Como resolver".


Figura 1: Pia com sifão instalado corretamente


Caso, ações como a citada previamente não resolva, é ideal que se chame um profissional qualificado (em geral, engenheiros civis) para que o mesmo faça os levantamentos necessários para que o problema seja solucionado da melhor forma possível.


Água mole em pedra dura...


Outro problema muito grave relacionado com a falta de projetos hidrossanitários são os vazamentos de água ao longo das paredes, o que afeta posteriormente a estrutura da casa. Para contextualizar, o concreto age como uma esponja, absorvendo água que esteja próximo dele, porém, as armaduras de aço presentes dentro do concreto não reagem bem com a água, uma vez que as mesmas enferrujam, e consequentemente, perdem a sua resistência e a funcionalidade, colocando toda a estrutura em risco.


Figura 2: Armadura de estrutura de concreto armado oxidada por ação de água


A utilidade do projeto hidrossanitário neste caso é que, com as informações de onde está a tubulação, é mais fácil identificar a possível origem do vazamento, tal qual a melhor forma de solucionar esse vazamento. Porém, antes de qualquer ação, é necessário que os próprios frequentadores do local identifiquem um possível vazamento, e um dos melhores sinais para identificar isso é o mofo e as infiltrações.


Figura 3: concentração de mofo e infiltração devido a vazamento


Figura 4: Concentração de infiltração por estado avançado de decomposição do revestimento

Esses são, muitas vezes, os primeiros sinais de vazamento a serem notados porque, primeiramente, são fatores que afetam a arquitetura, sendo visíveis para qualquer pessoa. E em segundo lugar, são efeitos que atuam no acabamento das paredes, que são camadas mais finas, o que torna esses efeitos visíveis em um período menor de tempo. Tendo sido identificado qualquer um desses sinais na edificação, é bom chamar o quanto antes um profissional competente (de preferência, um profissional da engenharia civil capacitado na área de patologia das estruturas, uma vez que este é capacitado para identificar quaisquer problemas estruturais provenientes de vazamentos e solucioná-los de forma adequada.

A pressão chega a cair aqui...


Por fim, temos como outro problema muito recorrente em construções sem projeto hidrossanitário, principalmente em reformas, a falta de água, ou a baixa pressão em certas saídas de água, o que muitas vezes certas atividades impossíveis, como lavar uma área maior, encher uma piscina, entre outras atividades que demandem mais água, ou uma pressão maior da mesma. Essas faltas de pressão acontecem porque, como não foi feito o projeto hidrossanitário, acaba que o encanamento não é dimensionado da forma correta, não tendo os cálculos para garantir a qualidade da entrega de água em cada ponto da casa.


Caso esse problema já esteja acontecendo com você ou com algum conhecido, é ideal que um engenheiro civil seja chamado para fazer análise do local, e muito possivelmente, seja dimensionado uma bomba para distribuir a água de forma ideal.

Em resumo...


Ao longo desse blog, foram descritos diversos "problemas pela falta de um projeto hidrossanitário pode acarretar", porém, em nenhum momento foi mencionado sobre custo. TODOS os problemas mencionados anteriormente custam muito para serem solucionados, uma vez que muitas vezes, será necessário fazer mudanças em estruturas que precisam ser trocadas, o que acarreta num aumento muito grande no preço. Caso haja um projeto hidrossanitário, os problemas citados anteriormente podem ser evitados ao máximo, ou no mínimo, prolongar o tempo de vida útil das estruturas, evitando maiores dores de cabeça e ajudando muito no bolso, uma vez que em média, o projeto hidrossanitário custa de R$ 6,00 a R$ 10,00 por metro quadrado. Então, em resumo, FAÇAM PROJETOS.

Referências


THÓRUS ENGENHARIA. Patologia das edificações: o que é e como tratá-la? 2020. Disponível em: https://thorusengenharia.com.br/patologia-nas-edificacoes/. Acesso em: 15 jun. 2022.

BRK. Os impactos do vazamento de água vão além da tarifa. Entenda! Disponível em: https://blog.brkambiental.com.br/vazamento-de-agua/#:~:text=Além%20dos%20impactos%20na%20conta,seja%20identificado%20o%20quanto%20antes. Acesso em: 15 jun. 2022.

FIBERSALS. Danos estruturais causados pela infiltração. Disponível em: https://fibersals.com.br/blog/danos-estruturais-causados-pela-infiltracao/. Acesso em: 15 jun. 2022.

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
pngwing.com.png