• Théo Bueno

A HISTÓRIA DOS MATERIAIS USADOS PARA CONSTRUÇÃO DE PONTES

Pontes, por muitas vezes, são vistas apenas como um elemento bonito na estrada de pessoas e veículos, porém, a principal função de uma ponte é ligar dois pontos que, por algum motivo, não podem ser ligados da forma tradicional, por terra.

Começando com algo bem simples, como um tronco que ligasse dois níveis com um desnível entre eles, as pontes foram se tornando um elemento cada vez mais essencial para humanidade chegar onde chegou, seja para evitar a passagem em água ou para criar um atalho, ter pontes era necessário para explorar novos territórios. Por isso, a evolução das pontes e dos materiais usados nelas acompanhou, naturalmente, a globalização e o desenvolvimento das tecnologias do ser humano.





Então, ao estudar a evolução dos meios de transporte e da humanidade, é possível ver como ocorreu, simultaneamente, a evolução desse método de ligação. Novos materiais e estilos foram criados a todo momento, sejam eles para acompanhar novos meios de transporte ou, principalmente, para atravessar vãos cada vez mais distantes.

Madeira


Seja um tronco, sem projeto algum, ou uma Rio-Niterói, construída com o trabalho de vários engenheiros, ambas são pontes. No passado, ainda não era desenvolvido o uso de materiais como aço, ferro e compostos, por isso, nas construções, o primeiro material utilizado foi a madeira. Então, independente do vão que deveria ser rompido, ela era o único elemento disponível para utilização.

Mesmo sendo resistente, a madeira, além de inflamável, não consegue manter suas propriedades quando exposta à água por muito tempo, por isso muitas pontes acabavam sofrendo com a ação de intempéries e, até mesmo, de “parasitas”, como o cupim, tirando a resistência da sua estrutura e inviabilizando seu uso.

Porém, assim como não faz sentido o uso da madeira em grandes pontes, também não faz sentido colocar as propriedades e o projeto da Rio-Niterói em vãos de, por exemplo, três metros, dessa forma, a ponte de madeira ainda é viável para situações específicas.




Ponte Rio-Niterói - Rio de Janeiro, Brasil


Pedra


Sabendo dos problemas das pontes de madeira e da sua baixa durabilidade e resistência, outro material utilizado foi a pedra. Responsável por pontes de aparência rústica e elegante, ela, com certeza, trará lembranças dos tempos de palácios e feudos.

Entretanto, a pedra é um material de difícil manuseio e recorte, fazer esse tipo de ponte, em arco, demandava muitas pedras perfeitamente encaixadas, entretanto, quando uma pedra é quebrada, ela quase nunca se quebra em tamanho padrão ou possui superfícies lisas, por isso, para a construção dessas pontes, era demandado muito tempo e trabalho para moldá-las. Além disso, ligar uma pedra a outra é uma tarefa complicada, não é como o ferro.

Com tudo isso, as pontes de pedra acabaram ficando na história e são muito pouco usuais atualmente.




Ferro


Em um passado mais recente, chegamos à revolução industrial, com as indústrias a todo vapor, o ferro fundido foi um material essencial para a evolução das pontes, sendo de fácil manuseio e conexão, diferentemente da pedra, aparentava ser o material perfeito para esse tipo de construção.

Com isso, a primeira ponte de ferro fundido construída foi a “Ironbridge”, em 1979, na Inglaterra. Contudo, as pontes de ferro também tiveram um “porém” em sua história, como citado no início do texto, a Revolução Industrial estava a todo vapor na Inglaterra e, por isso, a ponte foi muito exigida e o ferro é um material corrosivo, então, juntando a corrosão (causadora de perda de propriedades mecânicas) com a alta exigência estrutural, as pontes de ferro começaram a apresentar problemas em sua estrutura, acabando com as grandes expectativas criadas sobre o material, que, querendo ou não ainda foi muito importante por ser parte de seu sucessor.




Concreto e aço


Surgindo do ferro, o aço foi o próximo dessa lista que está quase em seu fim. Formado por ferro e carbono, é mais resistente do que seu antecessor, suportando com mais vigor intempéries e forças.

Porém, sozinho, ele ainda pode sofrer com o contato com a umidade e chuvas ácidas. Então, com a chegada do concreto, material de grande resistência à compressão, em conjunto com o aço, o protegendo das ações naturais e agregando resistência, encontrou-se uma combinação capaz de romper vãos com grandes dimensões, podendo até mesmo ligar cidades!





Reflexão


É notório que o homem participou efetivamente da evolução das pontes, não só nos materiais, mas também nos seus formatos e nas suas estruturas, porém, será que as pontes participaram da evolução da humanidade? A resposta é sim! Por mais que não seja algo registrado ou comprovado, a teoria de Bering, que leva esse nome por ter como protagonista Bering, um estreito, de 85 km, localizado entre o extremo leste asiático e o extremo oeste do continente americano se congelou, formando uma ponte entre os dois extremos e, assim, permitindo que o homem chegasse à América pela primeira vez.



E aí, você já sabia que as pontes podiam ser tão importantes e serem uma das responsáveis pela sua existência?




Surgiu interesse em aprender mais sobre pontes? Teve alguma dúvida sobre o assunto desse post? Deixe um comentário ou entre em contato pelas nossas redes!


35 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo